Fenícios em Sete Cidades, segundo Ludovico "Chovenágua"

No norte do Estado do Piauí, em terras do Município de Piracuruca, limitando com o contíguo Município de Brasileira, há um conjunto de monumentos naturais, em rochas areníticas, moldado pela ação erosiva pluvio-diferencial ao cabo de milhões de anos, que, em face da separação casual das pedras em sete blocos mais ou menos distintos, recebeu a denominação de “Sete Cidades”, compondo, hoje, o parque nacional[1] de mesmo nome.


Registro do "Castelo" na "Terceira Cidade"

Leia mais: Fenícios em Sete Cidades, segundo Ludovico "Chovenágua"

Árabes no Piauí antes da "descoberta" do Brasil

A velha e surrada historieta da pomposa descoberta do Brasil por Pedro Álvares Cabral (1467 ou 1468 - 1520 ou 1526) e a do nosso Piauí pelo bandeirante paulista Domingos Jorge Velho (1614-1703) ou pelo português Domingos Afonso Mafrense vez por outra é posta espremida contra a avassaladora parede da contestação e da desconfiança. Teria tudo se passado realmente assim mesmo, mecanicamente compassado, como arquitetam maquiavelicamente as conspirações gabineteanas dos nossos jumentóides e intragáveis sábios de plantão?

O que teria se passado no nosso país séculos antes de Cabral e do naufrágio do infausto Nicolau de Resende no delta parnaibano no século XVI? Só o ir e vir interminável de irrequietos e impulsivos povos nômades brasílicos, num cotidiano apenas de abrangência interna, sem nenhuma ingerência de navegantes de outros continentes, como é muito cômodo afirmar? Nada de fenícios, de vikings, de egípcios, de normandos, de povos do mar, de atlantes, etc.?

  arab01.jpg - 46.83 KB
MAIS DE DUAS CENTENAS DE KM DO OCEANO, O DESENHO DE UM NAVIO COM DUAS VELAS NO LUGAREJO PICOS, MUNICÍPIO DE CASTELO DO PIAUÍ.

Leia mais: Árabes no Piauí antes da "descoberta" do Brasil

A Pedra do Castelo na visão de Clodoaldo Freitas

A famosa e formosa Pedra do Castelo, místico e misterioso imenso monumento rochoso repleto de cavernas areníticas na zona rural de Castelo do Piauí foi tema de um capítulo de nosso livro “Na Terra dos Castelos” (2000). A impressionante escultura da natureza antes fora estudada pelo austríaco Ludwig Schwennhagen (1860-1934), defensor da presença fenícia no Piauí, em 1978. O Francês Jacques Marie de Mahieu (1915-1990) seguiu literalmente a tese de Schwennhagen, porém adaptando-a aos vikings.

Antes dos referidos estudos, um pioneiro fez a primeira descrição detalhada do local. Nos referimos a uma descrição mais rica, pois no século XIX só era citada esporadicamente em pequenos textos, como pelo político e historiador José Alencastre (1831-1871), pelo jornalista cearense Jácome Avelino (? - ?) em 1866, etc.

Em 1911 o jornalista, escritor e advogado oeirense Clodoaldo Severo Conrado Freitas (1855-1924), um dos fundadores da Academia Piauiense de Letras, visitou a famosa Pedra do Castelo, na então Vila do Marvão (hoje Castelo do Piauí). A Pedra do Castelo, famosa mundialmente, dista cerca de 20km da atual cidade de castelo do Piauí. 

 pc01.jpg - 45.25 KB
A MONUMENTAL PEDRA DO CASTELO, UM DOS MAIS INTRIGANTES MONUMENTOS PRÉ-HISTÓRICO DO BRASIL.

Leia mais: A Pedra do Castelo na visão de Clodoaldo Freitas

Caçadores de Histórias na trilha dos pilões de pedra deixados por povos indígenas

A cidade de Castelo, localizada no norte do estado do Piauí, a 190 km da capital Teresina e que já foi chamada na língua indígena de Ubiara, que quer dizer algo similar a “terra de água boa”, é um verdadeiro tesouro para a arqueologia. 

Com inúmeras formações rochosas repletas de inscrições rupestres (gravuras e pinturas) que serviram de abrigo e moradia para o homem primitivo e povos indígenas que habitaram a região como os Tabajaras, vindos da Serra da Ibiapaba, bem como as tribos da etnia Tapuia.

cdp01.jpg - 54.07 KB
AVENTUREIROS EM BUSCA DE INFORMAÇÕES SOBRE A HISTÓRIA DE CASTELO.

Leia mais: Caçadores de Histórias na trilha dos pilões de pedra deixados por povos indígenas

O fantástico conjunto de sítios arqueológicos de Buritizal, Valença do Piauí.

As "Pintadas" são uma série de abrigos decorados do povoado Buritizal, a km a sudoeste da cidade de Valença do Piauí. A origem do nome deve-se ao fato de dezenas de furnas e abrigos do local estar profusamente adornadas por arte rupestre, pintada ou gravada.

A região de caatinga é rica em afloramentos ruiniformes, de formas extravagantes, que nos lembram do Parque Nacional de Sete Cidades.

 bu0.jpg - 49.94 KB
RELEVO EXUBERANTE DE BURITIZAL, VALENÇA DO PIAUÍ. 

Leia mais: O fantástico conjunto de sítios arqueológicos de Buritizal, Valença do Piauí.

www.000webhost.com