Warning: session_start(): Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /storage/ssd4/909/1073909/public_html/libraries/joomla/log/entry.php:1) in /storage/ssd4/909/1073909/public_html/libraries/joomla/session/session.php on line 531

Warning: session_start(): Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /storage/ssd4/909/1073909/public_html/libraries/joomla/log/entry.php:1) in /storage/ssd4/909/1073909/public_html/libraries/joomla/session/session.php on line 531
As inscrições rupestres no Riacho Caldeirão em São José do Divino-PI

As inscrições rupestres no Riacho Caldeirão em São José do Divino-PI

Distante cerca de três quilômetros do município de São José do Divino, perto da estrada que liga o município à cidade de Piracuruca, localiza-se nas margens do Riacho Caldeirão, uma pedra com intrigantes inscrições rupestres, tive a oportunidade de visitar o local no ano de 2003.

As pinturas são em formatos de mãos, um sol rodeado de pequenos pontos, além de outras figuras geométricas e alfabéticas, aparentemente a pedra vem sofrendo um processo de depredação ao longo do tempo, algumas inscrições estão apagadas e outras perderam o seu formato original.


FIGURAS ALFABÉTICAS
 

FIGURAS GEOMÉTRICAS


MÃOS


SOL RODEADO POR PONTOS

 

É pouco provável que a população local seja responsável pelas ações predatórias no lugar, pois os mesmos, mantém um certo respeito pelo local, talvez seja desgaste natural do arenito ou a ação de visitantes.

Localizada na fazenda Caldeirão que é de propriedade da família do falecido Chico Pedro, segundo dona Maria do Carmo Pinto, matriarca da família, desde quando chegara ao local a mais de 20 anos a pedra se encontra da mesma forma.

Indagada sobre a origem daquelas inscrições, dona Maria do Carmo diz que no local existe um grande mistério em que nem os mais antigos sabiam afirmar com precisão quem deixou aqueles sinais. 

O que existe na verdade são lendas que vem passando de geração a outra, dentre elas diz que as mãos pintadas nas pedras seriam de pessoas que estariam sendo perseguidas, tentando fugir dos tiros, elas ensangüentadas, tentaram subir na pedra, deixando lá as marcas de suas mãos.

Outra lenda trata das figuras alfabéticas existentes, segundo alguns moradores, a moça que conseguir desvendar aquelas inscrições, despertará o príncipe encantado, e terá assim o seu grande amor.

O riacho proporciona um agradável banho, em toda a sua margem é possível encontrar uma grande quantidade de pedras com formatos naturais bem interessantes, furnas, corredores e outros, na época atraia um grande número de banhistas, afirma dona Maria do Carmo.


BANHO NO RIACHO CALDEIRÃO


Dona Maria do Carmo e boa parte de sua família moravam na localidade Malhadinha, situado às margens da estrada São José do Divino – Piracuruca, é um povo simpático e ordeiro.


CAPELA DE SÃO FRANCISCO NO POVOADO MALHADINHA, MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO DIVINO, À FRENTE DONA MARIA DO CARMO PINTO E ALGUNS DE SEUS NETOS


Em toda aquela região existem várias ocorrências de inscrições rupestres deixadas pelos nossos antepassados.

www.000webhost.com